O que foi feito com o corpo de Hitler?

Ficar sem túmulo não é só para inimigos públicos. Gente menos odiada também passou por isso 

Após matar Osama bin Laden, em maio, o governo dos EUA decidiu jogar o corpo no mar a fim de que não houvesse um túmulo em que seguidores do terrorista prestariam homenagens. O argumento não é novo. Para evitar peregrinações à sepultura, inimigos somem com o corpo. "A morte atrai mais seguidores", diz o historiador Wagner Pereira, da UFRJ. Personagens adorados por um povo também passaram por isso. "Apesar de terem histórias diferentes, os corpos de Hitler e de Evita eram temidos pelo mesmo motivo: tornaram-se ícones temidos", diz Pereira.


Adolf Hitler

Em 1970, três agentes da KGB desenterraram a ossada do ditador, escondida desde o fim da 2ª Guerra. Cremaram e jogaram as cinzas ao vento. O único agente vivo, Vladimir Gumenyuk, recusou ofertas milionárias para revelar o local da despedida.


Evita Perón

Temendo o fortalecimento do peronismo na Argentina, os militares que derrubaram seu marido, Juan Domingo Perón, em 1955, sequestraram o corpo, que foi parar sob nome falso em um cemitério em Roma. Evita voltou a Buenos Aires em 1974.


Antônio Conselheiro

A cabeça do líder espiritual de Canudos foi enviada à Faculdade de Medicina de Salvador para ser estudada em 1897. Acreditava-se que sua loucura poderia ser diagnosticada pelo formato do crânio. Oito anos depois um incêndio misterioso destruiu tudo.

Postagens mais visitadas deste blog

HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO NO BRASIL PERÍODO JESUÍTICO (1549 · 1759)

Analise do quadro Monalisa de Leonardo da Vinci

Lançado o computador pessoal Apple Lisa