A velha que arriscou a vida para salvar um soldado da 2ª Guerra Mundial em uma noite de Natal


Era dezembro de 1944 e a Segunda Guerra Mundial estava em uma das fases mais sangrentas. Soldados alemães lançaram a ofensiva de Ardennes, na Bélgica, para combater os estadunidenses. Em florestas belgas, combates eram travados.
Em meio a essa paisagem, três soldados estadunidenses perderam-se. Um estava ferido. O tempo era hostil: a neve tampava a perna até os joelhos e a neblina escondia qualquer imagem a poucos metros. Era impossível se encontrar. Perdidos, os soldados andaram horas e encontraram um chalé. Nele, morava uma velha senhora com um menino de 12 anos de idade, Fritz Vincken. Sem titubear, a idosa abriu as portas para os soldados e ofereceu-lhes comida e fogo para eles se aquecerem. Ela sabia que eles corriam perigo e que os inimigos estavam na cola do trio. Mas era véspera de Natal e eles deveriam ser recebidos.
Servida a comida, a senhora começou a curar as feridas do ferido. De repente, quatro soldados alemães armados invadiram a casa. Não havia como revidar, o trio estava totalmente vulnerável. Em meio a armas, ao ódio alemão e ao medo dos soldados estadunidenses, a senhora tomou a frente e pediu que ninguém atirasse naquela noite de Natal. Um silêncio, misto de constrangimento e susto, invadiu o ambiente. Todos concordaram. Os soldados alemães se retiraram. No dia seguinte, os estadunidenses procuraram seus compatriotas. Era Natal.
Reprodução
Anos depois, um canal de televisão americana contou a história e promoveu um encontro entre Fritz Vincken e o soldado que ele e sua avó salvaram.
Fonte: Historias de La historia

Postagens mais visitadas deste blog

HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO NO BRASIL PERÍODO JESUÍTICO (1549 · 1759)

Lançado o computador pessoal Apple Lisa