2- Soberania e Territorialidade na América Portuguesa: A colonial comarca de Ilhéus (1763-1808)

Interpretação da comunicação de Caio Figueiredo Adan 

Procura compreender a dinamica de produção e transformação da comarca de Ilhéus nas últimas décadas do período colonial. Criada em 1763 como consequência da anexação do território da antiga donataria de São Jorge dos Ilhéus pela Capitania Real da Bahia, a comarca insere-se no bojo de um amplo processo de redesenho das fronteiras da colonização portuguesa no continente americano durante a segunda metade do século XVIII, voltado não apenas para a consolidação de seus limites exteriores como  também para a nova lógica de gestão do território colonial, notadamente sobre aquelas áreas em que o domínio português ainda não tinha se efetivado por completo.

Sob estes viés, os processos da ocupação e ordenação do território da comarca são pensados como campo privilegiado de disputas entre segmentos diversos da sociedade colonial, revelando a emergência de práticas terrritorias fortemente recortadas por relações de poder. Através do manuseio das fontes - documentos legais, correspondências, registros cartográficos e relatos e memórias históricas - buscou-se identificar tensões sociais construídas em torno do processo de institucionalização territorial e discursiva da comarca, bem como diferentes estratégias adotadas pelos sujeitos históricos face à nova configuração de poderes estabelecida naquele território com destaque para a introdução de um novo agente do poder metropolitano naquele contexto os ouvidores de comarca.

Disponível em dissertação: dissertação

Postagens mais visitadas deste blog

HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO NO BRASIL PERÍODO JESUÍTICO (1549 · 1759)

Lançado o computador pessoal Apple Lisa