Mas guerra curtas... Guerra dos Seis dias

Semana infernal:  A Guerra dos Seis Dias não foi a mais breve, mas é um capítulo marcante nos conflitos entre árabes e judeus

Forças Árabes
No ar: o mais avançado avião de combate de egípcios e sírios era o MiG-21, fabricado na União Soviética e que podia atingir odobro da velocidade do som. Mas a falta de peças de reposição e de preparo adequado de seus pilotos prejudicou as forças aéreas árabes
Em terra: os tanques árabes, dos quais os principais eram o T-54 e o T-62, ambos de fabricação soviética, eram mais modernos que os usados por Israel. O problema é que eles foram surpreendidos pelo inimigo em território aberto e sem proteção aérea

Forças de Israel
No ar: o caça-bombardeiro Mirage III (de fabricação francesa) foi o destaque. Os aviões de ambos os lados se equivaliam em poderio, mas os pilotos israelenses tinham melhor treinamento e apoio logístico, por isso levaram vantagem nos duelos aéreos contra os sírios
Em terra: Israel tinha vários blindados, mas sua principal arma era o tanque Centurion, produzido na Grã-Bretanha. Ele era inferior aos tanques árabes, mas a vantagem israelense foi de novo o melhor treinamento e o uso de táticas mais apropriadas
1. Desde o início dos anos 60, a Síria (um país árabe) usava seu território nas colinas de Golan para bombardear o norte de Israel — país judeu que havia sido criado décadas antes e que não era reconhecido pelos árabes. Esses bombardeios criam uma constante tensão na região. Em maio de 1967, o Egito (aliado árabe da Síria) reforça suas bases militares na península do Sinai, perto da fronteira com Israel
2. Com o cheiro de guerra no ar, no dia 5 de junho de 1967, as forças israelenses resolvem tomar a iniciativa. É o primeiro dia da guerra. Aviões partem para o ataque, aniquilando, ainda no solo, a maior parte da força aérea do Egito e bombardeando a Síria e a Jordânia, outro país árabe que faz fronteira com Israel
3. No segundo dia da guerra, forças blindadas israelenses avançam pela península do Sinai. Em 7 de junho (terceiro dia), a Jordânia, que havia relutado em entrar na guerra e estava militarmente despreparada, anuncia sua rendição a Israel e perde o controle sobre a cidade de Jerusalém Oriental e a região da Cisjordânia. No quarto dia, toda a península do Sinai está sob o domínio dos israelenses e os combates contra as forças egípcias são suspensos
4. Em 9 de junho, o quinto dia, o Exército de Israel enfrenta os sírios nas colinas de Golan e começa a cercar os inimigos. No dia 10, último dia da guerra, os israelenses completam sua ofensiva no Golan e controlam a região. No dia seguinte um cessar-fogo é assinado e Israel passa a ocupar a península do Sinai (que seria devolvida ao Egito no final dos anos 70), a Faixa de Gaza, as colinas de Golan e a Cisjordânia — regiões que mantém até hoje.


Postagens mais visitadas deste blog

HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO NO BRASIL PERÍODO JESUÍTICO (1549 · 1759)

Lançado o computador pessoal Apple Lisa