73,8% das domésticas não têm carteira assinada, diz ministério

A ministra da Secretaria de Políticas para as Mulheres, Iriny Lopes, divulgou nesta quarta-feira  (27) estudo sobre a condição das trabalhadoras domésticas no Brasil. De acordo com o estudo, 73,8% das trabalhadoras domésticas não possuem carteira assinada.
De acordo com o estudo, baseado em informações da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) de 2008, uma trabalhadora doméstica na informalidade recebe 27% a menos do que uma trabalhadora doméstica com carteira assinada. E entre as negras, a situação é pior: a maioria não possui vínculo formal de trabalho (59%) e recebeu o equivalente a 67,4% do salário mínimo em 2008.
O estudo mostra que o rendimento médio mensal das trabalhadoras domésticas sem carteira assinada, em 2008, foi de R$ 303, valor 27% abaixo do salário mínimo vigente em setembro daquele ano - R$ 415,00.  No mesmo ano, rendimento médio mensal das trabalhadoras domésticas com carteira assinada foi de R$ 523,50. 
Entre as trabalhadoras domésticas negras sem carteira assinada, o rendimento médio mensal, em 2008, foi de R$ 280, o equivalente a apenas 67,4% do salário mínimo vigente naquele ano.
Segundo os dados do estudo, as trabalhadoras domésticas representavam, em 2008, 15,8% do total da ocupação feminina, o equivalente a sete milhões de mulheres. Deste total, somente 26,8%  tinham carteira de trabalho assinada. A situação das trabalhadoras domésticas negras, de acordo com o estudo, é ainda mais precária. Entre os 73,2% que não possuíam vínculo formal de trabalho em 2008, as trabalhadoras negras correspondiam a 59,2%.

Fonte: G1

Postagens mais visitadas deste blog

HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO NO BRASIL PERÍODO JESUÍTICO (1549 · 1759)

Lançado o computador pessoal Apple Lisa